E pode haver em um único sol

Milhões de horas

Para a poesia que aflora

Transformar o meu espírito...

Atualizações do Amigo da Sofia em seu e-mail. Cadastre-se!



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Manifesto dos Malditos!

.


Sou da laia dos poetas

Ando com o povo de sandália

Com os desempregados

Os profetas esquizofrênicos, maníacos

Com os andarilhos, pedintes

Ando com os andantes

Caminhos construídos juntos

Com os boêmios, as putas

Sem casa

Os putos, sem raça

Os hippies, os guerreiros da luta

Branca, sem armas opressoras

O discurso não acabado

Constantemente mutante

Somos os doidos, os rejeitados

Os ditos malditos, os vagabundos

Escandalizados

Que sonham, sempre sonham

Os pervertidos, os amaldiçoados

Que não matam, nem ferem

Tampouco excluem

Alguém

Só porque é diferente

E, no entanto, marginalizados

Negros, judeus, gays, maconheiros

Carecas, desdentados, cadeirantes

Marinheiros, miseráveis

Somos todos navegantes

Da mesma embarcação...

O meu nojo, o meu protesto

O meu asco, repúdio manifesto

Contra todos os normais

Contra toda a auto-suficiência

Dos expoentes da arrogância

De quem quer ser superior

Quem atravessa a rua

Pelo simples dissabor

Do medo tão dominante

Parco pavor

De alguém, pasme!, que é o seu semelhante.



video
Atenção: Cenas fortes e contundentes. Cuidado!


Olá Amigos da Sofia!

Hoje deixo aqui a minha manifestação de repúdio ao que um ser humano é capaz de fazer com outro... Simplesmente não entendo e não aceito nada que se aproxime de qualquer coisa que lembre a violência. Dia 18 de Maio foi o dia nacional da luta antimanicomial no Brasil. Todos os dias é preciso gritar um basta ao horro
r que fazem em nome sabe-se lá de que ou de quem... Se todas estas pessoas são loucas, sou também! Que hospício maior não é este em que vivemos chamado Mundo? Hoje a minha poesia vem para chocar. Para doer! Para mover! Para dizer NÃO!



18 comentários:

  1. Olá Sweetheart...

    Sabe o que fazem com essas pessoas?
    Eles(esse pronome que me instiga) as vestem de luto e as fazem chorar sua própria morte,antes dela acontecer... Na vida de hoje, o mundo só pertence aos estúpidos, aos medíocres e aos incapazes de pensar.

    Lamentável!!

    Deixo meu silêncio!!

    ResponderExcluir
  2. de sua mente e através de suas mãos escorreram versos duros e contundentes, porém verdadeiros e precisos. que o desvairio dos "normais" seja enterrado junto com os manicômios. parabéns amigo ...

    "Somos todos navegantes

    Da mesma embarcação...

    O meu nojo, o meu protesto

    O meu asco, repúdio manifesto

    Contra todos os normais"

    ResponderExcluir
  3. Caramba, incrível, esse texto é seu?
    Isso me fez lembrar uma música de Adriana Calcanhoto, Senhas...

    "Eu gosto dos que tem fome
    Dos que morrem de vontade
    Dos que secam de desejo
    Dos que ardem."

    Incrivel esse vídeo, não sabia sobre essa luta antimanicomial, incrivel post.

    Abraço cordial colega poeta!

    ^^

    ResponderExcluir
  4. Whesley,

    Eu como poeta louco, peço licença para assinar embaixo do teu poema. Parabéns!

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  5. Estou fazendo uma campanha de doações para meu projeto da minibiblioteca comunitária e outras atividades para crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todas as pessoas de bom coração,pode doar de 5,00 a 20,00.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Whesley,

    É muito triste a incapacidde do ser humano em amar o próximo, os animais,a Natureza...
    A sede pelo poder corrompe e destrói.
    Felizmente exitem aqueles que lutam contra tudo isso, pois sabem (ou tentam) AMAR incondicionalmente.
    Eu acredito no amor.

    Belas palavras as suas (como sempre)

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Ola amigo Whesley

    Excelente este manifesto.
    Adorei.

    Amigo, as minhas desculpas por estar aser pouco frequente no seu espaço, mas estou com problemas
    visuais e não posso permanecer muito tempo na
    frente do PC, pelo que vou dividindo por todos
    os espaços que visito. Espero compreenda.

    Um abraço

    Alvaro

    ResponderExcluir
  8. Bom Dia Amado Amigo..
    Posso me denominar uma louca tambem.
    Realmente é preciso dar um basta em tudo isso.
    Sua poesia hoje , faz tocar as mais intimas fibras do coração, parabens por esse poema manifesto.

    bjs

    Luz

    Andreia Arakaki

    ResponderExcluir
  9. Whesley, Amigão!
    Nadar contra essas águas
    e ser sempre a superfície
    o artífice
    das anáguas que encobrem
    o nosso nó.
    O Rio continua subindo...
    Tácito.

    ResponderExcluir
  10. Só uma pessoa muito especial poderia fazer uma postagem como esta.
    De que vale toda nossa vã filosofia se ainda não aceitamos e entendemos outras necessidades, outras realidades.
    Infelizmente,ser diferente ainda pode ser perigoso.
    Preconceitos matam, torturam, destróem vidas, oportunidades.
    Quem somos nós? Somos normais? Para quem?
    Aquilo que pode parecer normal em outro país ou cultura pode ser absurdamente anormal .
    Não seriam mais loucos aqueles que entenderam que tais "tratamentos" eram eficazes?
    De todas as doenças, de todos os sofrimentos, os mais doloridos são: o isolamento, a indiferença, a solidão, o descaso e a injustiça.
    Aqueles que eram tratados como "doentes" nestes manicômios acabavam ficando verdadeiramente doentes irrecuperáveis depois de passar por todas as fases de tortura física e psicológica.
    Maluquice total!!!
    Grande abraço.
    Angel

    ResponderExcluir
  11. Para doer? Doeu.
    Solidarizo-me e uno-me a você nesse manifesto tão humano. Há que se ter compaixão. Há que se ter amor pelo semelhante, pelo diferente, pelo não normal. Só o amor pode salvar a humanidade.

    Não se pode rodopiar sempre, mas não perca de vista a alegria daquele palhacinho...
    E depois, bem de perto, quem é normal?

    Também sou da laia dos poetas...

    Beijos com carinho Whesley
    Rossana

    ResponderExcluir
  12. Concerteza, aquele que não é 'normal' acaba sendo dscriminado.
    Sinceramente essa é a parte mais comovente que podemos observar no ser humano, capaz de 'excluir' quem é 'diferete'.. não, não são diferentes, apenas não são do jeito que é padronizado (essa palavra existe?) pela sociedade, mas somos todos iguais. Idependentemente de cor, sexo, idade, tamanho e assim por diante.

    Um grande beijo da Dressa

    x)

    ResponderExcluir
  13. Qualquer forma de segregação é repugnante!!!

    Forte e verdadeiro poema!

    Parabéns!Beijo!

    Sonia Regina.

    ResponderExcluir
  14. Eu também me sinto da Laia dos Poetas...e com muito orgulho!!

    Um grande abraço e parabéns pela postagem!!

    Reggina Moon

    ResponderExcluir
  15. deixando minha assinatura aqui também solidária!

    beijos meus!

    ResponderExcluir
  16. Muiiiiito bom e expressivo...principalmente porqe trata de realidade. Quanto tesouro há aqui!!!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  17. Somos todos navegantes

    Da mesma embarcação...

    O meu nojo, o meu protesto

    O meu asco, repúdio manifesto

    Contra todos os normais.....
    sábias palavras, nelas encontrei um dos meus ideais...odeio o preconceito e a hipocrisia, mas são poucos os capazes de expor isso diante de toda uma sociedade. Parabéns pelo trabalho.
    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Salve, Anônimo (a)!

    Muito obrigado pela visita e por dar-me força. Obrigado por manifestar também o seu repúdio! Acredito muito no que disseste, mas, estamos aqui, neste espaço para isso... Quando quiser, volte, entre, sirva-se de poesia e fique o tempo que quiser! Bjs! Luz e Paz!

    ResponderExcluir

"O que você não pode eu não vou te pedir e o que você não quer eu não quero insistir..." (Humbeto Gessinger)

SEU COMENTÁRIO SERÁ RESPONDIDO AQUI NO BLOG MESMO. OBRIGADO!

Related Posts with Thumbnails

O Que Você Procura no Amigo da Sofia?