E pode haver em um único sol

Milhões de horas

Para a poesia que aflora

Transformar o meu espírito...

Atualizações do Amigo da Sofia em seu e-mail. Cadastre-se!



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 6 de maio de 2009

As Cores da Poesia!


.


Amanheceu. Outro dia. A noite acabou. O sol. Chegou. Luminoso. Brisa. Suave. Sopro. Estava vivo. Eu. Estava. Vivo. Mas, não bastava. Nunca. Não era suficiente. Era só uma criança. Já velha. A minha curiosidade. Curioso. Sempre fui. Muito. Demais. E um mundo inteiro. Imenso. Para desvelar. Diante de mim. Para conhecer. Quem para me ensinar? Não tinha. Não sabia. Não queria mesmo. Cada descoberta. Um sabor. Ou doce. Ou amargo. Ou azedo. Ou salgado. Qualquer. Gostos. Muitos. Outros tantos. Infinidade. Só teria que voar. Voar. Sempre quis. Bater asas. Se eu soubesse que tinha! Asas. Eu tinha. Ainda as tenho. Mas, não sabia. Por isso não voei. Antes. Queria muito. Fiquei. Quase acostumado. Com o aspecto cinza. Tom gris. Do meu mundo. Cinza. Gris. Até aquela manhã. Só. Vi a vida passar. A vida. Colorida. Debaixo da minha janela. Debaixo. Aberta. Janela. Do meu nariz. Bem embaixo. Um susto. Um grito. Colorido. Pulsação. Rápida. Descobri que tinha um coração. Eu tinha. Tenho ainda. Depois de tanto tempo. No peito. Um coração. E batia. Pela vida. Corria. Velozmente. Quase explosão. Quase. Faltou um nada. Faltou. Nada. Não parou. Nem explodiu. Mas, admirou-se. Com o que viu. Quem era? Homem? Mulher? Tão colorido. Cores desconhecidas. Nunca as vi. Outra vez. Nunca mais. Alguém gritou. Palhaço! Outro grito. Pierrot! Se eu soubesse... Teria eu gritado. Eu também. Meu grito. De gratidão. Não importava quem era. Não. Gratidão. Um grito. O meu. Seria: Poeta! Até hoje não sei se sonhei. Ainda hoje. Não sei. Ou se estava acordado. Estava? Sonho. Real. Nunca soube. De fato! Sei que quis ser igual. A ele. Ou a ela. Não consegui ver. Não consegui. Usava máscara. Uma. Única. Linda. Magnífico. O sorriso. Ele. Ou ela. Sorriu. A máscara cobria. Mas, eu vi. Aquele sorriso. Tinha. Tenho certeza. Um sorriso. Inesquecível. Hoje eu sei. Da inspiração. Exalava. Dele. Ou dela. Não sei... Dançava. Pulava. Fazia versos. Declamava poemas. Sonetos. Elegias. Poesia! Epopéias. Poemas. Era poeta. Ele. Ou ela. E eu quis ser igual. Igual. Quis ser poeta. Ter aquelas cores. Cores. Aquelas luzes. Irradia. Eu também queria. Pular a janela. A janela. Aberta. Do meu mundo cinza. Gris. E segui-lo. Ou acompanhá-la. Para onde. Não sei. Mesmo. Pelo mundo. Talvez. Não sei. Não. Quis ir. Mesmo assim. Não quis ficar. Mas, fiquei. Extasiado. Em graça. A lembrança. Dele. Ou dela. Jamais escaparia. Jamais. Fugiria. Nunca. E me alimentaria. Combustível. E me tornaria vivo. Sempre. Aquelas cores. Minha vida. Vida. A poesia. Foi o rastro. Que ele, ou ela, deixou. O rastro. Vestígios. Para mim. Ele. Ou ela... Nunca soube. Nunca. Levava algo nas mãos. Não vi. Algo mágico. Nas mãos. Não vi. Mas, era encantado. Tenho certeza. Disso. Bem... Certeza. Nenhuma. Se vivi. Ou se sonhei. Mas, vi. Apreciei. O que ficou. Não saiu. Ficou. Para sempre. Desde então. Encantou-me. Modificou-me. Mudanças. Causou. Mutações. Irreversíveis. Trago comigo. Eu trago. Em mim. Na alma. Mesmo velho. Velho. Feito hoje. Como sou agora. Sempre fui. Velho. Sempre. Agora. Aquele dia. Aquela janela. Aberta. Para o mundo. O mundo. Para a poesia. Que ficou. No ar. E respirei. E fui tomado. Naquele dia. Naquele. Pelo o que ele, ou ela, deixou. Ele. Ou ela. O que deixou. Deixou. Em mim. Em minha vida. Vida. Em minha alma. Alma. Minha. Aquele palhaço. Ou pierrot. Ou os dois. Dois. Misturados. Cá dentro. Guardados. Para sempre. E fui feliz. Felicidade. Real. Senti. Mesmo. Desde aquele dia. Aquele dia. Desde. Aquele sorriso. Que me ensinou. Poesia. A poesia. Que trago. Dele. Ou dela. Minha. Em mim. E de tantos outros. Poetas. Poetisas. Regidos. Pela poesia. Magnífica. Poesia. Desde então. Para sempre... Poeta!


12 comentários:

  1. ...para sempre poeta!E que poeta maravilhososo,instigante,que se tem prazer em acompanhar!!!

    Lindo e colorido texto!!!As cores sempre estão por aí...

    Beijos coloridos!Sonia Regina.

    ResponderExcluir
  2. Tão bom nascer. Tantas vezes nascer.

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo!
    Estas cores da poesia,
    perfeitamente combinadas
    com palavras certas.

    Parabéns

    Um grande abraço.

    Alvaro Oliveira

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso!Lindo e profundo texto!Meu querido amigo vc é fenomenal!Tem asas nos dedos...tem magia no coração...Cada vez que te visito transponho o tempo e o espaço...vou para um mundo melhor: mais colorido,mais brilhante,mais cheio de amor e alegria!Bendito sejas,Poeta por nos brindares com este delicioso vinho que nos embriaga de felicidade! (Vi que me visitaste...pena que só publiquei meu poema bem depois da tua partida!)Um beijo alado!

    ResponderExcluir
  5. O que é isso que eu li?
    Um tanto de tudo brigando com um pouco de nada, com total sentido que se desfaz e refaz nas nossas imaginações coloridas.
    Adorei!!!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  6. Vivas e aplausos!!!

    Majestoso, Amigo Whesley!!!
    Parabéns!!!

    Beijos...
    No coração!!!
    Iza
    (Amigo, ainda não publiquei o selinho por
    falta de tempo, alguns probleminhas na vida
    não me permitiram ainda. Tentarei o mais
    rápido possível... Mil desculpas!!!)

    ResponderExcluir
  7. Uau!
    Adorei esta leitura, este momento...
    Parabéns!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. Whesley,

    Lindo o seu texto recheado de palavras coloridas. A poesia mora em cada linha que escreves. Parabéns!

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  9. Olá Sweetheart...

    Deixando meu "presente"!!
    Seja sim colorido como um arco-íris,eles não podem ser apanhados...Só admirados!

    Um ENORME sorriso só pra ti =))

    ResponderExcluir
  10. Hoje e agora. Hoje. Agora. Eu fui feliz. Fui e estou. Sou. Feliz. Por poder ler. Ler esse texto. Teu texto. Sou. Texto encantado. Encanto e poesia. Poesia tem cores. As cores de Whesley.

    Beijo de batom
    vermelho

    Rossana

    ResponderExcluir
  11. Olá Whesley, visitei seu blog pela primeira vez. Parabéns pelos textos. Voltarei mais vezes.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Claudia Manica03 junho, 2010

    oiii, meu querido irmão do coração,
    como sempre, nos encantando com seus poemas ricos em inspiração. Vc é lindo, excêntrico e instigante... e tudo de bom que o mundo pode ter nos dado para estar ao lado. Mas, por falar nisso, andas sumido e me fazendo falta. Te amo, e te preciso. Vê se aparece, manda sinal de fumaça, pisca as lanternas ou qualquer coisa, mas num se isola. Meu poeta querido e lindo.
    Adorei os mantras aqui do blog.

    ResponderExcluir

"O que você não pode eu não vou te pedir e o que você não quer eu não quero insistir..." (Humbeto Gessinger)

SEU COMENTÁRIO SERÁ RESPONDIDO AQUI NO BLOG MESMO. OBRIGADO!

Related Posts with Thumbnails

O Que Você Procura no Amigo da Sofia?