E pode haver em um único sol

Milhões de horas

Para a poesia que aflora

Transformar o meu espírito...

Atualizações do Amigo da Sofia em seu e-mail. Cadastre-se!



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 28 de setembro de 2013

Sem Tido Sentido




 Suas rimas fáceis

Frases prontas
 
Meus pensamentos ágeis
 
Não suportam...

 
Mas, o amor não se escreve
 
Nem obedece
 
Regras ortográficas!

 
Fotográficas
 
As lembranças
 
Que trago
 
Respiro
 
Articulo
 
Os meus

Pensamentos
 
Fáceis
 
Estimulo
 
Com isso

Suas frases ágeis...


 

~ : : : ~





quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Verso Puído



 

Todas as cartas que não escrevi
 
Rasguei e queimei
 
Todas as palavras que não disse
 
Engoli e engasguei
 
Todas as alegrias que não vivi
 
Perdi e escondi
 
Todas as amizades que  não quis
 
Desbotei e envelheci
 
Todas as musas que não bebi
 
Matei e esqueci
 
Todas as vidas em uma só que deixei
 
Desperdicei e morri...



sábado, 21 de setembro de 2013

Vazio (Alvo Vulnerável)






É quando a última gota evapora

E o último trem vai embora

Que olho nos seus olhos

E já não vejo o que me fez ficar

Aqui todo esse tempo...


É a brisa que já não me traz paz

Que alimenta os demônios que cultivo

Domesticados como gatinhos ronronando

Adormecidos em meu peito aberto

Alvo muito vulnerável... Vazio!


É quando o sabor do mel está amargo

E as flores corrompendo o orvalho

Que meu coração não apresenta pulso

Uma frondosa árvore sem raiz ou galho

E as lágrimas já nem mais apáticas!


É uma manhã chuvosa o cenário da despedida

Porque você é drama, trama e tragédia

É música desafinada e fotografia descolorida

É pintura abstrata e arte regredida...

Tudo o que me deixou de alma apaixonada, rendida!



~ : : : ~




Efêmero!





Uma casa


Um casco


Uma casca



Tudo quebra! 



Nem Tudo Funciona de Verdade

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Os Versos Que Ainda Não Nasceram





A noite chegou


Acompanhada


De muitas estrelas


E uma delas


Trouxe a minha poesia


Aflorada, latente


Causando-me improviso


Instigando os versos


Que ainda nem nasceram


E os sentimentos


Que brotam de mim


São o alimento


Para tudo aquilo que realizo


Os caminhos


Tantos aqui dentro


Os tropeços sujeitos


A vontade, o amor


E o dispor


São todos autênticos


Que vivo


Respiro


E comigo mesmo


Torno-me idêntico!

sábado, 14 de setembro de 2013

Série Era Uma Vez...





Era uma vez

Um hippie japonês

Que me disse em polonês

Que ser gentil e cortês

 Abre sorrisos e extingue mesquinhes. 
 
 
 
 
 
~ :: ~
 
 
  

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Brechas Abertas





Você me atira

A quilômetros de distância

Longe de você


Todas as vezes

Que quer me moldar

Modificar o que sou


As brechas abertas

Me deixam alerta

Mas não tenho mais o ímpeto

De me aproximar

Daquilo que já não sinto.


Que a brisa leve

Com a força de vendavais

Aquilo que é prejudicial...



Related Posts with Thumbnails

O Que Você Procura no Amigo da Sofia?