E pode haver em um único sol

Milhões de horas

Para a poesia que aflora

Transformar o meu espírito...

Atualizações do Amigo da Sofia em seu e-mail. Cadastre-se!



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 29 de agosto de 2010

Paranóica mente

.

Sigo contando os dias

Calculando as horas

Porque preciso de você.

.

O vento varre o tempo

E tudo sempre muda...

.

Não sei o que é

Mas há um tom diferente

No ar.

.

E as pérolas do seu colar

Mastigam o brilho

Do olhar

Que, a ti, dedico.

.

Um pensamento

Seguido de uma palavra

Pode fazer revolução

Se em sua concepção

Existir nós dois.

.

Quero muito

Tenho tudo

E imediatamente depois

Preciso de mais...

.

domingo, 22 de agosto de 2010

Revista de Poesias

.

Image Hosted by ImageShack.us


Amigos da Sofia! Salve!
Este humilde poeta que vos escreve recebeu há poucas semanas um precioso convite para participar de um projeto muito interessante, grande, ousado e necessário de um outro poeta e guerreiro, Antônio Poeta, do Rio de Janeiro. Antônio elaborou uma Revista de Poesias virtual onde apresenta, divulga, promove, celebra, compartilha e dignifica a poesia com mais de 200 poetas contemporâneos brasileiros. Um desses poetas sou eu. Nosso querido Antônio Poeta conseguiu a façanha de atingir a marca de mais de dois milhões de visitas em sua Revista de Poesias.
Hoje quero pedir licença aos meu queridos amigos leitores para ajudar, com uma gotinha perante o oceano, a divulgar este projeto. Então, com muita alegria no coração, convido a todos que lerem esta publicação a irem até a Revista de Poesias para conhecer este trabalho tão bonito...
Aproveito ainda para, publicamente, agradecer ao querido e guerreiro Antônio Poeta não só pelo convite de integrar este elenco tão grandioso, mas, principalmente por ter permitido que eu conhecesse aqueles seres tão encantados que por lá convivem... Muito obrigado!
Abaixo vou colocar o link da Revista de Poesias I e II e da comunidade no orkut...


Revista de Poesias I


.

Luz e Paz!!!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Combustível

.


Uma clara manhã vindo saudar


O dia belo e virgem nascendo


Faz dívida


Divino compromisso a saldar


O amor à amizade.


Belas cores inconfundíveis


Reluzem de todos os poros


E em cada canto do seu poder


Pulsa a música na voz dos coros


Que me ninam no caminho a percorrer.


Estou longe


Mas, tão perto te sinto


Que posso abrir um sorriso


E tocar em você.


Falta-me nos olhos


Farta-me no amor


Do incalculável valor


Do combustível


Que alimenta a minha poesia.


O carinho


O tempo passado


O sentimento guardado


Estarão todos presentes


Quando eu voltar e te abraçar


Um dia...


***


Salve Amigos da Sofia!


Este poema escrevi há muito tempo para uma amiga muito amada. Naquela época eu estava mudando de cidade e, de todas as coisas lindas que estão guardadas em minha alma, esta amizade é algo impermeável... Peço humildemente licença para oferecer a todos vocês, Amigos da Sofia, este sentimento tão magnífico: a amizade! Obrigado a todos pelo carinho, pelas visitas, pelos incessantes incentivos tão preciosos... O meu coração agradece emocionado!

Luz e Paz!




domingo, 8 de agosto de 2010

Fiapos de Versos Afiados

.


Todos os momentos guardados
Não vividos
Transformaram-se em sonhos mal perfumados...


Todas as palavras engolidas
Tornaram-se fiapos de versos afiados
Sem receberem vidas...


A cada borrão na lembrança
Uma sutil esperança
Esfarelada se esvai na sentença...


Quantas vezes quis
Mas não pude?
Quantas vezes pude
Mas não quis?


E hoje o que ficou?
A vontade de fazer tudo de novo e diferente...





sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Fora de Combate

.


Neste justo segundo


Sou um homem mais forte


E tanto mais humano


No crédito hediondo


Que concede este estado de leveza


Na tranqüilidade para o plano


Sair com a exata certeza.


Com o certeiro tiro


E impacto


Suficiente para aniquilar o fato


De trazer o medo


Para um momento no qual o enredo


É bom demais para ter defeito.


Na pulsação do trafegado coração


Tudo pode ser mais intenso


Deixando fora de combate


O olhar cambaleante propenso


Que não deixa fluir


A naturalidade jorrando a existir


Na vida mais doce


Que esse instante maravilhado pode oferecer.



Related Posts with Thumbnails

O Que Você Procura no Amigo da Sofia?