E pode haver em um único sol

Milhões de horas

Para a poesia que aflora

Transformar o meu espírito...

Atualizações do Amigo da Sofia em seu e-mail. Cadastre-se!



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O Eterno Esperar... Esperar...

.



Na manhã de um domingo ensolarado o poeta acordou vazio. Como se isso fosse possível, ele perdera a inspiração. Como foi acontecer aquilo? Na noite anterior embriagara-se com vinho tinto... Desses que custa qualquer vintém... Não se recordava de onde havia guardado sua fonte de inspiração.
Decidiu sair a procurar... A procurar... Foi até a ponte na saída da cidade, e lá não estava. E procurou... Procurou... Procurou...
Com pressa, caminhou com passos alongados em direção ao bar. A boemia, que é sempre a última a ir se deitar, talvez a tivesse visto passar por ali. Decepção! Lá, só achou um monte de sonhos envelhecidos. Como alguém poderia deixar tantos sonhos assim largados, embolorando, invictos? “De quem poderia ser tantos sonhos frustrados?”, pensou o poeta. Era de Cida, a garçonete que envelhecera servindo àquele bar. Uma mulher de muita beleza e brilho no olhar. E não era só isso. A voz tão firme e doce de Cida fazia de seu timbre algo jamais visto. Sem falar ainda da afinação natural, completamente intuitivo. Era talento puro e genuíno! Uma cantora de alto padrão e sensibilidade. Ela, porém, jamais lutou por seus sonhos. O tempo passou implacavelmente feito um trator por cima de tudo e de todos. Aquela linda e talentosa cantora assistiu de camarote a própria juventude desfilar diante de seus olhos e dizer-lhe adeus. E tudo isso atrás de um balcão de bar. Cida arrancou com amargura todos os seus sonhos das mãos do poeta e jogou-os no canto, do lado de dentro do balcão.
O poeta saiu desarvorado, com vento de imenso pesar soprando-o para longe dali. E foi a pensar: “Senti em Cida a covardia por não lutar e o peso do preço a pagar por isso.” E procurou... E procurou... Ainda mais procurou...
Passou pela casa de seu melhor amigo. Mais querido do que o mais querido de seus entes queridos de sangue, de parentesco que a vida lhe reservou. Não, não estava ali também.
E a procura mais aumentou... E aumentou... E procurou...
Já no desespero, o poeta sentou-se na sarjeta e, sem saber o que fazer, resolveu esperar. “Chega de procurar, agora vou esperar...” Somente esperar!
Passado algum tempo, ele ouviu um barulho ao longe... E de repente, percebeu que vinha do seu coração... O que era aquilo, afinal? Parou para escutar... Escutou... Escutou... Quanta surpresa! Era a sua inspiração, forte, saudável, convicta, a gravar versos e rimas em seu peito já quase inerte no jogo do paciente esperar... Esperar... Esperar...
Ele voltou, então, para a sua casa para repousar... E descansar... E relaxar... Ah, e ser feliz para sempre!


11 comentários:

  1. Oi Whesley!!!
    Quantos sonhos perdidos na boemia!!!
    Ela com certeza sabe de todas nossas frustrações.
    “E foi a pensar: “Senti em Cida a covardia por não lutar e o peso do preço a pagar por isso.”
    VERDADES...
    Um grande abraço, amigo.
    Ângela

    ResponderExcluir
  2. E quando o coração fala, espanja inspiração
    Bjs
    Andresa

    ResponderExcluir
  3. Olá sweet *.*

    A inspiração gosta de dar uns sustos né? Trancar-se num quarto escuro, e por mais que batamos, ela nos ignora no silêncio de quem tudo tem a dizer...

    ENORME sorriso =)

    ResponderExcluir
  4. Amigo Whesley,

    Com a inspiração daquele poeta, assim como a sua, não só ele, mas todos foram felizes para sempre.

    Um abraço!
    Alcides

    ResponderExcluir
  5. rsssss...Era uma vez que não era uma vez, eu conto outra vez...
    Ah! Ser feliz para sempre!

    Menino por onde anda? Saudades de você...

    Lindas Letras, emocionantes, e gostosas com gosto de Esperar Esperar...as vezes a inpiração nos faz mesmo Esperar Esperar, se perde pelas agruras da vida e queremos mesmo encontrá-las nesses recantos de meu Deus.

    Beijos e Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Andamos em sintonia no mesmo tema, e expressamos de formas diferentes.

    Inspiração...

    Pobre Cida que desistiu dos sonhos!
    Existem tantas de nós por aí...

    Um beijo saudoso Wesley
    Rossana

    ResponderExcluir
  7. Dentro de si, no coração do ser
    Onde o sonho vive, ganha asas
    ...................... Voa!!!

    Saudades, Amigo Whesley...
    Deste teu sentir imenso!!!

    Beijos...
    No coração, meu Amigo!!!
    Iza

    ResponderExcluir
  8. Oi, Amigo Elfo-Feiticeiro-Encantador de palavras!Passei pra matar as saudades e te deixar um carinho! Doce beijo!

    ResponderExcluir
  9. Oi amigo,

    Que linda história essa. Temos mesmo que tomar cuidado porque o tempo é implacável em suas ações.

    Ainda bem que temos você para nos alertar.

    Obrigado!

    E.T.A.V

    Abraços de Luz

    ResponderExcluir
  10. Whesley,

    Vivemos sempre nesse eterno esperar, mas as vezes não nos damos conta disso...

    Lindo texto, parabéns!!!

    Um grande beijo, bom Domingo!!

    Reggina Moon

    ResponderExcluir
  11. O tempo tem suas funções.
    Ajuda a esquecer, ajuda a recuperar, nos faz esperar, porém, não devemos subestimá-lo, ele precisa ser aproveitado na medida certa.
    Gostei do que li, parabéns!!!

    Abraços.

    ResponderExcluir

"O que você não pode eu não vou te pedir e o que você não quer eu não quero insistir..." (Humbeto Gessinger)

SEU COMENTÁRIO SERÁ RESPONDIDO AQUI NO BLOG MESMO. OBRIGADO!

Related Posts with Thumbnails

O Que Você Procura no Amigo da Sofia?